quarta-feira, 13 de maio de 2009

Moreira da Silva - Mo"Ringo"Eira (1970)

Mestre do samba de breque, 98 anos de vida, nasceu no Rio de Janeiro em 1902 e morreu em 2000. Percorreu as rodas de malandragem e os cabarés da Lapa dos anos 30/ 40, mesmo época em que começou a sua carreira musical, encarnando o espírito e a imagem dos malandros com chapéu Panamá, sapato bicolor e terno branco, adotou o apelido de Kid Morengueira e como diferencial, adicionou falas improvisadas entre os breques dos seus sambas. Durante os anos 50 e começo dos 60, obteve sucesso e gravou inúmeros discos pelo selo Odeon. O álbum Mo”Ringo”Eira (Phonodisc/Continental, 1970) foi lançado já em uma fase onde o cantor enfrentava a concorrência dos cantores cabeludos e reclamava da falta de oportunidades para aparecer em programas de rádio e TV como afirma em depoimento ao Museu da Imagem e do Som em 1967: "O sucesso corre como água de regato. Às vezes pára um pouco, faz aquele remanso, mas a onda vem de novo". Sem perder o fôlego, neste LP continuam suas histórias fantásticas que envolvem a malandragem: “O Conto da Mala”, “Rebocador Laurindo”, “Moreira na Ópera” e “Paraíso de Malandro”, futebol em “Fera de Ouro” – homenagem ao jogador Tostão e ao tri-campeonato mundial do Brasil, as sogras em “Carne Prá Lingüiça”, mulheres em “Garota Genial” e “Vou Cassar Seu Mandato”, a hilária “O Sequestro de Ringo” de Miguel Gustavo, inspirado nos filmes de bang-bang italianos e uma regravação do seu clássico “Na Subida do Morro”. Destaque para os arranjos de base e de metais, o samba de bateria, a utilização de flautas, órgão, coro feminino e dos solos de trombone.

Um comentário:

sexy disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.